Como os sensores de análises ajudam a conscientizar sua equipe 

Isaque Costa

Entenda como os sensores do Eskive ajudará a manter sua empresa segura 

Com certeza você já viu alguma notícia sobre vazamento de dados, não é mesmo? Isso porque os ciberataques estão ficando cada vez mais comuns. Segundo o estudo Cost of Data Breach Study: Global Overview, realizado pela IMB em 2018, as empresas brasileiras têm 43% de risco de sofrer um ataque. Isso mostra a vulnerabilidade das organizações do Brasil e isso liga um alerta para que elas tenham mais atenção quanto a segurança das suas informações. Saiba como sensores de análises, em uma campanha de conscientização, podem ajudar a  manter sua companhia protegida. 

Sensores de análises como diferencial

Os colaboradores costumam ser o principal alvo dos ataques direcionadas à organizações em todo o mundo. Para não ser vítima de um cibercriminoso é preciso estar atento e observar os detalhes de todas as informações que chegam até nós, pois, caso contrário, podemos ser os responsáveis pelo vazamento de dados sensíveis da empresa na qual trabalhamos. Para que os prestadores de serviços saibam os perigos de um ciberataque, as instituições precisam aplicar uma campanha de conscientização em segurança da informação e assim engajar e instruir seus funcionários.

Para diminuir as práticas digitais inseguras dos usuários, o Eskive é uma plataforma indispensável, pois tem como diferencial diversos sensores de análise e é especialista em disponibilizar métricas comportamentais relacionados à proteção de dados. Dessa forma, a ferramenta se destaca por conseguir medir o nível de conscientização e aprendizado dos seus colaboradores.


Conheça os sensores de análises

O Eskive possui vários sensores para medir os comportamentos em ambiente físico e reconhecer os riscos online. Em cada sensor são geradas métricas para trazer uma visão detalhada dos hábitos que podem prejudicar a empresa. Além da simulação de phishing a plataforma possui mais de 10 sensores de análises, eles são divididos em 3 categorias:

    Monitoramento: 

  • Comportamento em redes sociais (Webcrawler);

  • Uso inadequado de e mail corporativo (Leak App).

    Análise:

  • Política de mesa limpa (Ronda de mesa limpa);

  • Comportamento em ambientes físico (Teste de invasão física);

  • Reconhecimento de risco físico (Panfletagem);

  • Uso inadequado de mídias removíveis (pen drive);

  • Reconhecimento de risco online (simulação phishing);

  • Reconhecimento de risco por voz (Simulação vishing);

  • Reconhecimento de risco por mensagem de texto (Smishing);

  • Reconhecimento do nível de maturidade (Questionário).

    Educacionais:

  • Treinamento online;

  • Clipping;

  • Informativo;

  • Palestra.

Com todos esses indicativos oferecidos pelo Eskive é possível mensurar os hábitos em redes sociais, nos e-mails corporativos, nos ambientes físicos, além de informar e capacitar os colaboradores. Consegue-se também acompanhar a evolução em cada tema, quais departamentos se destacaram e quais usuários regrediram. 


Mudança de comportamento

Os sensores de análises presentes no Eskive são extremamente eficientes para ajudar a barrar os ataques de cibercriminosos, pois conseguem monitorar o comportamento.

Ao compor uma campanha de conscientização geram engajamento educacional e dão a possibilidade de identificar a falha entre a cultura de segurança da instituição e suas necessidades de proteção. 

Com as métricas comportamentais dos colaboradores, disponibilizadas pelo Eskive, é possível analisar como os usuários agiriam em caso de ameaça. Logo pode ser feito um plano de ação de acordo com a realidade do cenário da organização

Confira nossos conteúdos no blog do Eskive para entender mais sobre sensores de análises e a como manter os seus dados e os da sua empresa protegidos.


Yonara Marques